quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Situação é de alerta para a dengue no estado de Sergipe

05/11/2015 07h07 - Atualizado em 05/11/2015 06h50
Carro fumacê está passando com frequência no município de Lagarto, que apresenta risco médio de infestação.
Aldaci de Souza

A diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde, Sidney Sá, apresentou na manhã desta quarta-feira, 4, à imprensa, prefeitos e secretários municipais de saúde, os resultados do último Levantamento Rápido do Índice de Infestação (LIRAa) e as ações implementadas pelo Governo. Dados mostram que, foram registrados este ano em Sergipe, 7.499 casos de dengue com 2.904 confirmações e um óbito [no município de Neópolis]. Foram 37 casos de Chikungunya e nenhum caso de Zica Vírus confirmado nas 50 amostras realizadas. A situação é de alerta.
De acordo com material distribuído pela assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Saúde, o município de Aracaju foi o que mais registrou casos de dengue de janeiro a 14 de outubro de 2015, com 4.058 casos notificados e 1.941 casos confirmados. A região de Nossa Senhora do Socorro está ao lado na estatística, com 1.315 casos notificados e 265 confirmações.
Dengue
O LiRAa [feito a cada início de ciclo epidemiológico para manoitorar a presença do vetor], mostra que seis municípios apresentam alto risco de infestação da dengue: Pedrinhas, Siriri, Cedro de São João, Itabaianinha, Salgado e Simão Dias.
Apresentam risco médio: Aquidabã, Aracaju, Areia Branca, Boquim, Capela, Carira, Carmópolis, Estância, Feira Nova, Frei Paulo, Itabaiana, Japaratuba, Japoatã, Lagarto, Laranjeiras, Malhador, Maruim, Monte Alegre de Sergipe, Neópolis, Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora das Dores, Pinhão, Pirambu, Poço Redondo, Porto da Folha, Propriá, Riachuelo, Ribeirópolis, Rosário do Catete, Santana do São Francisco, Santo Amaro das Brotas, São Cristóvão, São Domingos, Tobias Barreto, Tomar do Geru e Umbaúba.
E 11 municípios são considerados risco baixo para a dengue: Poço Verde, Nossa Senhora do Socorro, Nossa Senhora Aparecida, Arauá, Barra dos Coqueiros, Campo do Brito, Canindé do São Francisco, Cristinápolis, Itaporanga D´Ajuda, Moita Bonita e Indiaroba.
"A gente chama a atenção dos municípios aonde teve maior número de notificações, a exemplo de Lagarto e Tobias Barreto em que tiveram casos identificados como febre de Chikungunya e também da dengue. Aracaju sempre com um número maior, justificando pela população e é importante todos se engajarem no combate ao mosquito da dengue. Intensificar as ações de controle é muito eficaz", alerta.
Chikungunya
Sidney Sá informou que quanto à febre de Chikungunya foram confirmados 37 casos autóctones [provenientes do local], confirmados até esta terça-feira, 4, sendo em Aracaju (12), Tobias Barreto (13), Rosário do Catete (3), Cristinápolis (8) e Barra dos Coqueiros (1). Dois casos da doença foram importados dos municípios baianos de Feira de Santana e Salvador.
"E quanto ao Zica Vírus, do Nordeste, o Estado de Sergipe é o que não identificou ainda o sorotipo, o que não quer dizer que a gente não tenha, que o mosquito não se adaptou ao vírus. É sinal que a gente precisa melhorar um pouquinho a nossa vigilância", ressalta Sidney Sá acrescentando que os gestores devem estar atentos aos trabalhos de prevenção.
Estratégia
O secretário de Estado da Saúde, José Sobral destacou que foi montada uma estratégia para os municípios sergipanos, entre os meses de novembro e dezembro, visando combater o mosquito Aedes Aegipty, causador da dengue e os mosquitos causadores das febres Chikungunya e Zica.
"O mosquito, o agente transmissor precisa de um combate efetivo sempre, se você tiver condições climáticas favoráveis que são decorrentes do tempo, descuido de algumas áreas que deixa destampada com águas paradas, tudo isso viabiliza sua proliferação. A população tem uma parte decisiva, o poder público do Estado também e as condições climáticas interferem favorecendo", ressalta acrescentando ser preciso engajamento de todos os municípios [apenas seis dos 11 convidados compareceram à capacitação] para que informem a situação à Secretaria e, dessa forma, se combata futuras epidemias.
http://www.lagartense.com.br/Reprodução www.adustinaadsa.com

0 comentários:

Postar um comentário