sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Petrobras anuncia redução do preço da gasolina em 3,2% e do diesel em 2,7% nas refinarias

Por Lara Rizério Em petrobras  14 out, 2016 08h58 - Atualizada em 09h22

Petrobras anuncia redução do preço da gasolina em 3,2% e do diesel em 2,7% nas refinarias

Esses preços entrarão em vigor a partir da zero hora deste sábado; empresa também anunciou nova política de preços
SÃO PAULO - A Petrobras (PETR3;PETR4) informou em comunicado que a sua diretoria executiva aprovou, ontem, a implantação de uma nova política de preços de gasolina e diesel comercializados em suas refinarias. A companhia ainda anunciou redução de preços dos combustíveis nas refinarias. 
O Grupo Executivo de Mercado e Preços, em sua primeira reunião, decidiu reduzir o preço do diesel em 2,7% (média Brasil) e da gasolina em 3,2% (média Brasil) na refinaria. Esses preços entrarão em vigor a partir da zero hora de sábado, dia 15 de outubro.
A estatal informou ainda que, como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de petróleo e derivados, as revisões feitas pela Petrobras nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor. "Isso dependerá de repasses feitos por outros integrantes da cadeia de petróleo, especialmente distribuidoras e postos de combustíveis", destacou a estatal.
Segundo a petroleira, se a redução aplicada na refinaria for integralmente repassada ao consumidor final, na bomba dos postos, o diesel pode cair 1,8%, ou R$ 0,05 por litro. A gasolina, por sua vez, pode cair 1,4%, ou R$ 0,05 por litro.
A Petrobras ainda destacou que a decisão do grupo gestor levou em conta o crescente volume de importações, o que reduz a participação de mercado da Petrobras, e também a sazonalidade do mercado mundial de petróleo e derivados. Os futuros ajustes de preços de combustíveis serão comunicados via nota à imprensa e canais internos de comunicação aos clientes, afirmou a companhia.
A companhia informou que a política de preços a ser praticada pela empresa terá quatro princípios: i) o preço de paridade internacional (PPI), que já inclui custos como frete de navios, custos internos de transporte e taxas portuárias; ii) uma margem para remuneração dos riscos inerentes à operação, tais como, volatilidade da taxa de câmbio e dos preços, sobre estadias em portos e lucro, além de tributos; iii) nível de participação no mercado e iv) preços nunca abaixo da paridade internacional.
De acordo com comunicado enviado pela empresa, a política que será posta em prática prevê avaliações para revisão de preços pelo menos uma vez por mês. "É importante ressaltar que, como o valor desses combustíveis acompanhará a tendência do mercado internacional, poderá haver manutenção, redução ou aumento nos preços praticados nas refinarias", aponta a estatal. A empresa ressaltou que a aprovação da política e estruturas básicas de preços é competência da diretoria executiva.
"Para permitir maior flexibilidade na gestão comercial de derivados e estimular o aumento de vendas, a Petrobras também avaliará conceder descontos pontuais para o diesel e a gasolina em mercados específicos. Em hipótese alguma, esses descontos implicarão em preços abaixo dos custos da empresa", afirmou a empresa.
Especiais InfoMoney

0 comentários:

Postar um comentário