segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Heliópolis-Ba:"JÁ COMPRARAM OS CAIXÕES", FALOU O ASSASSINO

domingo, 11 de dezembro de 2016

"JÁ COMPRARAM OS CAIXÕES", FALOU O ASSASSINO

O ano de 2016 ficará marcado como um dos mais violentos da história de Heliópolis e este final de semana, 10 e 11 de dezembro,  foi certamente o mais violento da história do município.  Foram contabilizados dois assaltos a mão armada, três pessoas baleadas e um morto a tiros. Dos feridos, um está à beira da  morte.
Tudo começou no início da noite de sábado (10). Dois homens armados fizeram um arrastão no povoado Tijuco. Além de assaltar populares, raparam os caixas do posto de gasolina do povoado. Ainda não há maiores detalhes porque nada foi registrado oficialmente, mas populares informam que os mesmos bandidos estiveram no povoado Farmácia, por volta das 20:30 horas e tentaram fazer outro arrastão.
Alguém deve ter reagido ou os bandidos ficaram afobados porque começaram a atirar. Os disparos atingiram o dono do bar, Agnaldo Guerra, conhecido popularmente por Naná de Guerrinha, de 46 anos, e Vagner Nobre dos Santos, de 35 anos. Agnaldo foi atingido no braço e Vagner levou um tiro nas costas, onde a bala ficou alojada. Os dois não correm risco de vida e estão sendo atendidos no Hospital Santa Teresa em Ribeira do Pombal. Os bandidos fugiram e ninguém mais teve notícia.
Mas parecia que a noite não seria de paz. Em Heliópolis, no bar de Pedro Veloso, na Avenida 7 de Setembro, bem no centro da cidade, uma banda se apresentava e o povo se divertia para espantar o cansaço da semana de trabalho. Eram 1 hora e 15 minutos quando cinco tiros foram disparados impiedosamente. A banda parou, o povo correu e dois corpos tombavam. Dois homens, ainda não identificados, aproximaram-se de dois irmãos que se divertiam e apenas disseram: “Já compraram os caixões? ”Na sequência veio a carnificina.

Os tiros foram disparados nas cabeças das vítimas, em clara evidência de execução. O primeiro a tombar foi José Luciano Alves dos Santos, natural da cidade de Fátima e morador na Avenida Helvécio Pereira de Santana, em Heliópolis, na saída para Poço Verde-Se. Tinha 23 anos e há poucos dias retornou de São Paulo. Deixou órfã uma filha. O outro, Cristiano dos Santos Neves, tem apenas 16 anos e foi socorrido e levado para Ribeira do Pombal. Matéria completa no Blog do Landisvalth. 

0 comentários:

Postar um comentário