segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Perícia investiga queda de helicóptero que matou noiva a caminho do casamento em São Paulo

Brasil

Perícia investiga queda de helicóptero que matou noiva a caminho do casamento em São Paulo

Acidente aconteceu neste domingo (4). Além da noiva estavam na aeronave o irmão dela, o piloto e a fotógrafa
Da Redação (redacao@correio24horas.com.br)
Atualizado em 05/12/2016 08:13:42
A polícia vai começar a investigar nesta segunda-feira (5) as causas da queda do helicóptero que matou a noiva que estava a caminho do seu casamento, neste domingo (4), em São Paulo. A ação vai contar com a participação de peritos do Instituto de Criminalista de polícia paulista e especialistas da Aeronáutica. 
A queda ocorreu a poucos quilômetros do local onde a festa do casamento seria realizada. A chegada de helicóptero era a realização do sonho da noiva, que queria fazer uma surpresa. O noivo aguardava no altar para o início da cerimônia quando soube do acidente. Na aeronave estavam ainda o piloto, Peterson Pinheiro, o irmão da noiva, Silvano Nascimento da Silva e a fotógrafa Nayla Cristina Neves Lousada.
Noiva queria fazer surpresa e chegar de helicóptero durante a cerimônia do seu casamento (Foto: Reprodução)
“O noivo não sabia que ela chegaria de helicóptero. Seria uma surpresa para ele e para todas as pessoas da festa. Todas as noivas têm um sonho e o dela era chegar de helicóptero a seu casamento sem que ninguém soubesse”, disse Carlos Batista, dono do buffet e responsável pela organização da festa e um dos poucos que sabiam da surpresa para poder organizá-la.
Carlos conta ainda que achou estranho a aeronave não ter pousado no campo do sítio, como estava previsto, e ligou para a empresa. Ele foi informado que o helicóptero já havia levantado voo e deveria ter chegado ao local.  “O dono disse que o helicóptero já tinha subido e que já deveria ter chegado. Pouco depois, ele mesmo me disse que uma aeronave tinha caído, mas que não imaginava que seria a sua própria”, lembrou.
“Chamei o pastor que estava na cerimônia e ele foi comigo comunicar para tentar acalantar o noivo. Ele ficou em estado de choque. Depois, os demais convidados (cerca de 300) souberam e ninguém sabia como agir. Foi uma tragédia”, afirmou. 
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) afirmou através de sua assessoria que o helicóptero estava com inspeção válida e que o certificado de aeronavegabilidade estava normalizado.

0 comentários:

Postar um comentário