segunda-feira, 6 de março de 2017

Política:Neto só deve deixar de disputar governo para ser presidente, diz Aleluia

Publicado em 06/03/2017 às 08h59.

Neto só deve deixar de disputar governo para ser presidente, diz Aleluia

Presidente do Democratas na Bahia defendeu que prefeito de Salvador rejeite proposta para ser vice em uma eventual chapa para o Palácio do Planalto

Rodrigo Daniel Silva
 
Foto: Evilásio Júnior / bahia.ba
Foto: Evilásio Júnior / bahia.ba

Presidente do Democratas na Bahia, o deputado federal José Carlos Aleluia defendeu, na manhã desta segunda-feira (6), a candidatura do prefeito ACM Neto (DEM) para o governo do Estado nas eleições de 2018.
Segundo o parlamentar, o nome do gestor soteropolitano para o Palácio de Ondina é uma unanimidade dentro da ala da oposição. “Neto só deve deixar de ser candidato a governador da Bahia para ser candidato a presidente da República”, frisou, ao ressaltar que, se for para ser vice em uma chapa para a Presidência, é melhor ACM Neto rejeitar o convite e disputar o governo.
Ao bahia.ba, o chefe do Executivo municipal sinalizou com a possibilidade de postular o cargo, mas ressaltou que a decisão será sua. De acordo com Aleluia, há dentro do grupo outros nomes fortes para concorrer ao comando da Bahia, no entanto, o prefeito de Salvador é o “candidato com vantagem”. O parlamentar listou alguns cotados: o prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM), e os deputados federais Arthur Maia (PPS), Benito Gama (PTB), bem como os tucanos Jutahy Júnior, Antonio Imbassahy e João Gualberto.
Na entrevista à Rádio Excelsior 106,1 FM, durante o programa “Na Boca do Povo”, com Uziel Bueno e Evilásio Júnior, Aleluia também atacou a gestão do governador Rui Costa (PT). Ele declarou que a Bahia vive hoje um “marasmo” e condenou a segurança pública do Estado. “Estamos vivendo uma guerra”, salientou.
Reformas – Ainda na sua fala, o democrata criticou a campanha do PMDB, que defende a reforma da Previdência Social a partir de um vínculo com os programas sociais. “Não concordo em cortar programa social nenhum. Foi um erro. Propaganda de muito mau gosto e de baixo nível”, afirmou.
Sobre a polêmica declaração do vereador Igor Kannário (PHS), que associou a Câmara a uma “organização criminosa”, Aleluia decidiu blindar o edil. Na avaliação dele, houve uma “supervalorização” do caso. “Quantos deputados sobem à tribuna e atacam o Congresso? Não há porque penalizar”, pontuou, ao ressaltar que o vereador tem “imunidade parlamentar”.

0 comentários:

Postar um comentário