segunda-feira, 8 de maio de 2017

Empresa Fátima: orgulho para Josino e para Sergipe

07/05/2017 20h59 - Atualizado em 07/05/2017 23h43
Empresa Fátima: orgulho para Josino e para Sergipe
Na linha Aracaju/Rio de Janeiro/Aracaju inaugurada em 1962 eram disponibilizados ônibus leito e simples. Teve grande aceitação da sociedade sergipana, já que não existia outra opção para este deslocamento, a não ser por via aérea, tendo em vista o desaparecimento dos trens e a impossibilidade de receber navios de médio e grande porte em nosso porto.

Por Francisco Víctor Santos de Araujo*


Josino José de Almeida (Foto) nascido em 10 de março de 1910 em Campo do Brito, município sergipano localizado na Microrregião Agreste de Itabaiana, filho de agricultores, seu pai Pedro José de Almeida e sua mãe Maria da Glória Almeida. Não chegou a concluir o primário, estudando até o 3º ano em sua cidade natal.
Começou a trabalhar cedo na agricultura, não demonstrando habilidades para este ofício, optou pela profissão de caixeiro viajante, o que proporcionou conhecer diversos comerciantes de cidades como Itabaiana e Lagarto, município do qual, anos mais tarde se mudou e conheceu sua esposa Edézia Teixeira de Almeida.
Adotando a atividade de comerciante de tecidos e ao mesmo tempo confeccionando roupas masculinas, Josino Almeida se tornou um alfaiate muito conhecido e requisitado nas cidades de Lagarto, Itabaiana, Simão Dias, Campo do Brito e adjacências.
Na oportunidade conheceu e se tornou amigo de José Martins Neto, que o convidou para ser sócio na Almeida Martins e Cia. Ltda, o que o levou a abandonar a profissão de alfaiate.
http://2.bp.blogspot.com/-3urRhSoFt5s/VD8bOLMPl0I/AAAAAAAAAm0/OTaIbtbAuNg/s1600/MARINETE%2BDA%2BFATIMA.jpg
Formada em 1953 a empresa atuava no ramo de transporte, oficinas mecânica e comercio de peças, lubrificantes e combustíveis. Inicialmente apenas contava com duas marinetes. Com a exploração da linha Simão Dias / Lagarto / salgado / Aracaju, as atividades da empresa se estenderam e em 1955 José Martins Neto cedeu sua parte na sociedade a Josino Almeida, que mudaria o nome para Josino Almeida e filho Ltda, em virtude de ter o filho José Almeida como sócio.
Em 1962 foram admitidos como sócios os filhos Wanderlan Teixeira de Almeida e Wanderley Teixeira de Almeida, o que alterou a razão social da empresa para Josino Almeida e Filhos Ltda. Em 1975 foi admitido como sócio o filho Valdson Teixeira de Almeida e mudada novamente a razão social para Empresa Nossa Senhora de Fátima.
http://2.bp.blogspot.com/-CSkPmUAxadk/VD8bQddvncI/AAAAAAAAAnI/Z_UwYh2uyXU/s1600/fatima%2Bleito%2B1969.jpg
A empresa tornou-se uma das mais modernas do Nordeste, tinha como referência o atendimento, a segurança e a pontualidade, teve sua frota renovada contando com ônibus Scania - Vabis e Mercedes - Benz, chegando a contar com 200 veículos e graças à concessão para explorar as linhas Simão Dias / Lagarto / Salvador / Simão Dias e Aracaju / Rio de Janeiro / Aracaju (atualmente explorada pelas empresas Viação Itapemirim e Nossa Senhora da Penha), fundou duas filiais, sendo uma no Rio de Janeiro - RJ e a outra em Salvador - BA, atendendo também cidades do interior de Sergipe como, Poço Verde, Tobias Barreto e Itabaiana e a cidades do interior da Bahia, como Paripiranga, Fátima e Cícero Dantas. Bem instaladas as filiais contavam com escritórios, oficinas e apartamentos completos para repouso dos motoristas quando em viagem para o Rio de Janeiro.
http://s3.amazonaws.com/onibusbrasil2014/1/12/p/4007654d8386f5a4a9ce48053dd0c1a7.jpg
Buscando sempre ampliar suas atividades a Empresa Nossa Senhora de Fátima registrou - se na EMBRATUR, sob os números A-1/SE e A-2/SE, com a finalidade de ofertar serviços de fretamento para excursões e turismo para todo o Brasil.
Na linha Aracaju/Rio de Janeiro/Aracaju inaugurada em 1962 eram disponibilizados ônibus leito e simples. Teve grande aceitação da sociedade sergipana, já que não existia outra opção para este deslocamento, a não ser por via aérea, tendo em vista o desaparecimento dos trens e a impossibilidade de receber navios de médio e grande porte em nosso porto.
http://s3.amazonaws.com/onibusbrasil2015/8/28/p/487449975ddcdbe27090bb575c7423b3.jpg
A Empresa contava com organizada diretoria, tendo como Presidente o Sr. Josino José Almeida, que com o auxilio da assessoria jurídica realizava a aquisição de novos veículos, imóveis e ampliação das linhas. O diretor administrativo era o Sr. Wanderley Teixeira de Almeida, responsável pelo escritório geral e serviços de: contabilidade, pessoal, almoxarifado, emplacamento de veículos, econômico, financeiro e treinamento de pessoal. José Almeida juntamente com sua equipe composta de motoristas, mecânicos, borracheiros, soldadores, pintores e lavadores, era o responsável da manutenção dos veículos na direção técnica da empresa. O responsável pela direção comercial era Wanderlan Teixeira que se encarregava de administrar as linhas Aracaju/Rio, Aracaju/Lagarto, Aracaju/Simão Dias e seus ramais, e Simão Dias/Salvador, também sendo responsável pela promoção de turismo e excursões. Promover o entrosamento da empresa com a administração das rodoviárias, com os Departamentos Estaduais de Transito e com a Patrulha Rodoviária Federal, cabia ao diretor de relações públicas o Sr. Vadson Teixeira de Almeida.
Na década de 1970 através da concorrência pública realizada pela Prefeitura de Aracaju, a Empresa Nossa Senhora de Fátima contando com 35 ônibus zero quilômetros, passou a atuar também no transporte coletivo de Aracaju, juntamente com a empresa Mencil Menezes e Cia, conhecida como Bomfim Urbana, que em 1981 seria adquirida pelos irmãos alagoanos Manoel Monteiro e Antônio Monteiro e em 1985 passou a se chamar Viação Progresso. As duas Empresas operavam sob regime de monopólio na exploração dos serviços. O marco divisor da área de atuação das duas empresas era a Avenida Maranhão. Ao norte operava a Fátima e ao sul operava a Progresso.
Como consequência do aumento da população de Aracaju e Grande Aracaju e o desentendimento familiar, houve em 1986 uma dissensão societária da Empresa Nossa Senhora de Fátima, dividindo-a em duas empresas: Halley e a própria Fátima. A Halley passou a atuar juntamente com a Progresso no transporte coletivo de Aracaju fazendo parte do SIT (Sistema Integrado de Transporte), que contava com dois Terminais de integração DIA e Maracaju, nascendo o Projeto Capital que foi uma parceria do Governo do Estado representado pelo então governador João Alves Filho e da Prefeitura de Aracaju na pessoa do então prefeito Jackson Barreto. Com a construção de diversos conjuntos habitacionais em São Cristóvão e Nossa Senhora do Socorro, a Fátima passaria a atuar juntamente com a viação São Pedro, empresa ligada ao Grupo Bomfim, no transporte suburbano fazendo a ligação destes complexos habitacionais ao Centro de Aracaju. Nesta mesma época ela adquiriu ônibus chassis Volvo sob carroceria Ciferal Padron Alvorada II, sendo a primeira e única a adotar esta motorização no transporte coletivo. Modelo bem apreciado pela população, por ter piso rebaixado e motor central entre-eixos, aumentando o espaço destinado aos passageiros.
Durante a gestão municipal do prefeito Wellington Paixão foram inaugurados os Terminais de integração Zona Oeste, Centro, Zona Sul, Zona Norte e Mercado. Neste momento a Fátima retorna a atuar no transporte coletivo de Aracaju, como também as empresas Nossa Senhora das Graças e São Pedro. Aracaju então passou a contar com cinco empresas de ônibus e sete terminais de integração.
No final da década de 1990 a Empresa Nossa Senhora de Fátima no seguimento de transporte coletivo de Aracaju, se dividiu em Fátima e Trans Fátima. Essa divisão tornou-se comum nas demais empresas que compõem o SIT. Na primeira década do século XXI a participação da Fátima urbana e suburbana é vendida e posteriormente a Trans Fátima, agregando sua frota e linhas urbanas e suburbanas a outras empresas do Grupo Bomfim.
A qualidade dos serviços prestados pela Empresa Nossa Senhora de Fátima rendeu a ela diversos títulos e prêmios como: "A mais atuante" dos anos de 1964, 1967, 1969, 1972, 1979 e 1980 conferidos pela opinião pública de Aracaju, Título de Empresa mais limpa do Brasil conferido pela Rede Globo em 1964, Prêmio de Melhor pintura do Brasil em 1970, conferido pela Mercedes-Benz. Também foi laureada pelo antigo Departamento Nacional de Estradas e Rodagens (DNER), hoje (DNIT) Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte, como a Melhor Empresa de Transportes a operar na Rio-Bahia.
Atualmente seguindo o exemplo deixado por Josino Almeida ao transporte de passageiros, seu filho Wanderlan Teixeira de Almeida e seu neto Wanderlan Teixeira de Almeida Junior, juntos administram a Empresa Voyage, que presta serviços de transporte intermunicipal para os municípios de Salgado, Lagarto, Simão Dias e Poço Verde. Contando também com agências de viagens em Aracaju e Salvador, a Voyage Turismo e o moderníssimo Trio Elétrico Voyage, que anima eventos a nível nacional, a exemplo o Pré-Caju.
http://s3.amazonaws.com/onibusbrasil2011/1/30/p/bffd24b7e24eacb7581e25890599aff9.jpg
Josino Almeida pela sua dedicação e reconhecimento, recebeu diversos diplomas de honra ao mérito, conferidos por jornais sergipanos. Teve participação na política sergipana, sendo nomeado Prefeito de Campo do Brito, Vereador eleito por Lagarto e Juiz de Paz. Foi dedicado a projetos e programas de interesse público como o Projeto Rondon dentre outros, com o apoio e patrocínio do Exercito Brasileiro, da Marinha do Brasil, da Câmara dos Diretores Lojistas, dos Colégios Jackson de Figueiredo e Nobre, da Universidade Federal de Sergipe e Associação Sergipana de Administração hoje Universidade Tiradentes.
Falecendo em 26 de julho de 1981, Josino Almeida ostentava 71 anos destes 28 dedicados ao transporte de passageiros. Sua trajetória de trabalho a frente da Empresa Nossa Senhora de Fátima, contribuiu para o desenvolvimento de nosso estado deixando um legado na sociedade sergipana tendo como reconhecimento diversas homenagens em ambientes públicos batizados com seu nome. Em Aracaju temos uma rua, uma praça e uma ponte. Em Campo do Brito uma rua também leva o seu nome. Em 2007, foi galardoado na categoria Post-Mortem da Medalha do Mérito NTU - Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano.
Em 2012 foi homenageado no IV Prêmio Setransp de Jornalismo. O Memorial de Sergipe, instituição mantida pela Universidade Tiradentes também homenageia este ilustre sergipano em sua exposição permanente.
*Francisco Víctor Santos de Araujo é graduado em História Licenciatura Plena pela Universidade Tiradentes.
Texto reproduzido do site: unit.br/memorialdesergipe
Foto 1 - Reproduzida do site: setransp-aju.com.br

0 comentários:

Postar um comentário