quinta-feira, 4 de maio de 2017

Homem em situação de rua apanha e é detido pela GCM por não ter nota fiscal de carrinho, diz testemunha

3/5/2017 às 17h47 (Atualizado em 3/5/2017 às 20h44)

Homem em situação de rua apanha e é detido pela GCM por não ter nota fiscal de carrinho, diz testemunha

“Não leva meus bagulhos, não. Eu não tenho nada”, pediu Samir
Do R7*
GCM agride morador de rua que não quis entregar pertences Reprodução
A GCM (Guarda Civil Metropolitana) da cidade de São Paulo agrediu e deteve o morador em situação de rua Samir, na manhã desta sexta-feira (03/05), próxima à estação Conceição da Linha 1-Azul do Metrô, na zona sul paulistana.
Após de derrubar proibição, Doria diz que GCM não vai tirar cobertor de morador de rua
Segundo o estudante de jornalismo Marcos Hermanson, 19 anos, que presenciou e gravou a ação da GCM (vídeo abaixo), ele estava passando pelo local quando se deparou com um tumulto protagonizado por funcionários da Prefeitura e Samir, que tentava proteger um colchão e um carrinho de supermercado.
Em seguida, ainda de acordo com o estudante, GCMs se aproximaram e disseram que o carrinho de supermercado do Samir era roubado e iria ser apreendido. “O GCM disse: ‘você não tem nota fiscal, a gente vai levar’”, afirma o estudante.
O homem em situação de rua não entregou os pertences e tentou proteger o carrinho com todos seus bens. O vídeo gravado por Hermanson mostra que, neste momento, GCMs agarraram e derrubaram Samir, enquanto os outros funcionários da Prefeitura recolheram o carrinho com cobertores, colchão e algumas roupas. Encostado na parede, Samir começa a chorar dizendo que foi machucado pelos GCMs.

Ainda chorando, o vídeo mostra Samir pedindo para não ter seus bens levados pelos funcionários da Prefeitura. “Não levem meus bagulhos, não, caramba. Eu não tenho nada, porra. Me solta, meu, por favor”.
Os guardas civis metropolitanos, no entanto, não atendem ao pedido e levam o Samir para o 35º DP (Distrito Policial), no Jabaquara.
Com frio recorde, morador de rua tem colchões e papelões retirados por GCM
Outro lado
A reportagem procurou a assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de São Paulo, que se posicionou por meio de duas secretarias. A de Segurança Urbana afirmou que "a Corregedoria Geral da Guarda Civil Metropolitana vai apurar a conduta dos agentes no procedimento". Ainda disse que "o guarda envolvido diretamente na ocorrência será afastado das atividades operacionais".
Já a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania disse que "a conduta dos Guardas Civis Metropolitanos envolvidos na abordagem do mencionado morador em situação de rua não condiz com a política e a orientação da Prefeitura de São Paulo, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania e da Secretaria Municipal de Segurança Urbana".
*Kaique Dalapola, estagiário do R7

0 comentários:

Postar um comentário