domingo, 21 de maio de 2017

PSB rompe oficialmente com o governo e pede renúncia de Temer

Integrantes da Executiva Nacional do PSB reunidos em BrasíliaPSB rompe oficialmente com o governo e pede renúncia de Temer

Partido assinará pedidos de impeachment protocolados no Congresso
O ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho Filho (PSB) Marcelo Camargo/Agência Brasil-10.mai.2017

20.maio.2017 (sábado) - 14h25
atualizado: 20.maio.2017 (sábado) - 16h45
A executiva nacional do PSB definiu hoje (20.mai) seu rompimento oficial com o governo de Michel Temer. O partido solicitará que seu filiado Fernando Bezerra Coelho Filho (PE) deixe a pasta de Minas e Energia. O partido pediu que Michel Temer renuncie ao cargo o mais rápido possível “para facilitar a solução para o país”.
Entre as resoluções definidas pelo partido, está o apoio a proposta de emenda à Constituição que permitiria a realização de eleições diretas para a Presidência. Leia aqui a íntegra do documento.
O presidente do partido, Carlos Siqueira, afirmou que o partido assinará os pedidos de impeachment protocolados por outras legendas no Congresso. O PSB apoia a escolha de novo presidente via eleição direta. “O povo precisa entrar em cena. A crise é de todo o sistema político que precisa ser renovado no processo eleitoral“, afirmou.

Ministério

O ministro Fernando Bezerra Coelho disse que em 24 horas definirá se permanece ou não na pasta de Minas e Energia. “Ele tem liberdade para ficar, mas não em nome do partido“, disse Siqueira.

Apoio ao Planalto

A sigla diz nunca ter feito oficialmente parte da base aliada ao governo no Congresso. Mas deu 14 votos a favor da reforma trabalhista na Câmara.
Os 14 deputados que votaram a favor, incluindo o ministro Fernando Bezerra Coelho Filho, estão sendo avaliados pelo Conselho de Ética do partido. Poderão ser punidos por apoiar a proposta.

0 comentários:

Postar um comentário