sexta-feira, 16 de junho de 2017

História da Bahia:Conheça o sobrado do século passado, construido pelo Barão de Jeremoabo.

Junho de 2017.

Iniciada restauração do sobrado do Barão de Jeremoabo em Itapicuru.

Da Redação (www.adustinaadsa.com)
- Atualizada em

O sobrado da Fazenda Camuciatá do Barão de Jeremoabo, localizado a 6,8 quilômetros da sede do município de Itapicuru, no Território de Identidade Litoral Norte, está sendo restaurado. A recuperação, em fase inicial, foi viabilizada pelo escritor:André Dantas(descendente do Barão de Jeremoabo)
Mais imagens:













Em(2011)

A recuperação, foi viabilizada pelos editais do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac)


Tombado pelo Ipac, em 1994, o casarão datado de 1894 pertenceu à Casa da Torre e foi uma das sedes da luta pela Independência do Brasil, em Itapicuru, situado a 227 quilômetros de Salvador. A obra está orçada em R$ 499,9 mil e deverá ser executada, em até seis meses, para conter a degradação física do monumento. “Pretendo transformar esse prédio no Museu do Nordeste”, disse o atual proprietário, Álvaro Dantas, descendente do Barão de Jeremoabo.

O casarão foi construído, entre 1888 e 1894, por Cícero Dantas Martins, Barão de Jeremoabo, deputado do império, senador estadual e um dos responsáveis pela edificação do Engenho Central do Bom Jardim, em Santo Amaro. Segundo Dantas, “após as obras e a implantação do museu, pretendo abrir a edificação para visitação do sítio histórico, promovendo acesso à cultura, fortalecendo a cidadania e divulgando a história regional e do estado da Bahia”.

Objetivos dos editais - O diretor geral do instituto, Frederico Mendonça, explicou que os editais possibilitam a participação efetiva da sociedade civil nas políticas culturais. “Um dos objetivos da iniciativa é apoiar projetos de restauração de bens edificados, já tombados e reconhecidos pela sua importância e singularidade, como a Casa de Engenho do Barão de Jeremoabo”. Para ele, os editais garantem ferramentas transparentes e democráticas na distribuição de recursos públicos. De acordo com Mendonça, de 2009 a 2011, foram contemplados 73 projetos, o que representa investimento da ordem de R$ 2 milhões do Fundo de Cultura da Bahia.

Estilo neoclássico - O imóvel, em estilo neoclássico, detém acervo composto de mobiliário antigo, arte sacra, pratarias, quadros, objetos de arte decorativa, documentos e indumentárias, datados dos séculos 18 e 19. Projetado pelo engenheiro baiano José Ramos, o prédio lembra uma pequena vila toscana com hall central e planta simétrica.

No andar superior ficam salas, quartos e capela com imagens barrocas. Já, no inferior, estão sala de jantar, outros quartos, cozinha e escada em jacarandá. Cristais, lustres, retratos a óleo, jarras, bacias e utensílios de louça portuguesa completam o acervo, além de livros em francês e português, cartas, mapas e selos.

As informações são da Agência de Comunicação do Estado

0 comentários:

Postar um comentário