quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Possibilidade de prisão de Lula subiu no telhado

Possibilidade de prisão de Lula subiu no telhado

Josias de Souza
Depois de 42 dias, a senteça em que Sergio Moro condenou Lula a 9 anos e 6 meses de cadeia no caso do tríplex do Guarujá chegou finalmente ao TRF-4, em Porto Alegre. Se o veredicto for confirmado ali, Lula será considerado um ficha-suja. E não poderá concorrer à Presidência. A segunda consequência de uma eventual confirmação da decisão do juiz da Lava Jato seria a prisão de Lula. Mas essa possibilidade subiu no telhado.
O encarceramento de condenados a partir de decisões de segunda instância foi autorizado pelo Supremo Tribunal Federal. A novidade representou uma reviravolta, porque acabou com o refresco de recorrer em liberdade. Preso, o condenado mantém intacto o direito de recorrer. Mas o interesse pela procrastinação dos julgamentos deixou de ser um grande negócio.
A prisão na segunda instância prevaleceu no Supremo pelo magro placar de 6 votos a 5. Há no tribunal duas ações que questionam a decisão —uma do Partido Ecológico Nacional, outra da OAB. E o ministro Gilmar Mendes, que votou junto com a ala favorável à tranca, ensaia uma meia-volta. Ele agora é um entusiasta da política de celas vazias na Lava Jato. Bom para Lula e de todos os condenados que têm dinheiro para recorrer a instâncias judiciais superiores. Com sorte, ficam soltos por um bom tempo. Com muita sorte, são premiados com a prescrição dos crimes

0 comentários:

Postar um comentário