domingo, 12 de novembro de 2017

Assassinato de vereador inflama rixa política no sertão de Alagoas; seis morreram em 18 anos

Domingo, 12 de Novembro de 2017 - 11:40

Assassinato de vereador inflama rixa política no sertão de Alagoas; seis morreram em 18 anos

Assassinato de vereador inflama rixa política no sertão de Alagoas; seis morreram em 18 anos
Viúva de Neguinho Boiadeiro é consolada | Foto: Beto Macário / UOL
Com o assassinato do vereador Adelmo Rodrigues de Melo, mais conhecido como Neguinho Boiadeiro (PSD), os órgãos públicos do município de Batalha, no sertão alagoano, estão de portas fechadas desde quinta-feira (9). A população teme sair nas ruas, que estão ocupadas por mais de 50 policiais, segundo informações do UOL. A morte, que aconteceu na porta da Câmara Municipal naquele dia, foi o estopim da rixa política entre as famílias Dantas e Boiadeiro – de acordo com a publicação, a rivalidade entre eles já culminou em pelo menos seis mortes em 18 anos. Atualmente, a cidade é gerida pela prefeita Marina Dantas (PMDB), que é esposa do ex-prefeito Paulo Dantas e nora do presidente da Assembleia Legislativa do Estado, Luiz Dantas (PMDB). Do outro lado estão os Boiadeiro, que além de Neguinho, tem Zé de Laércio como vereador na cidade.

Foto: Beto Macário / UOL

O crime de quinta foi cometido por dois homens que portavam pistolas de uso restrito da polícia. Eles esperaram até o edil sair da Câmara para atacar, matando Neguinho em minutos. Outras duas pessoas que acompanhavam o vereador no carro também foram atingidas, mas sobreviveram e já não correm risco de morte. No entanto, ao saber do assassinato do pai, José Marcio de Melo, conhecido como Baixinho, pegou uma arma e se deslocou até a residência de José Emílio Dantas para vingar a morte de Neguinho. Armado, Emílio reagiu, mas com a troca de tiros, acabou ferido no ombro. O UOL explica que por haver pessoas feridas do "lado rival" nas unidades de saúde de Batalha e de Arapiraca, cidade próxima, ele foi levado de helicóptero para ser atendido em Maceió e passa bem. Diante disso, Baixinho foi indiciado na sexta (10) e teve sua prisão preventiva decretada. Porém, ele ainda é procurado pela polícia. Como forma de conter a tensão, a corporação retirou integrantes da família Dantas da cidade, determinando que eles fiquem fora por pelo menos cinco dias. A publicação explica que a rixa teve início pelos idos de 1999, com as mortes do ex-prefeito de Batalha, José Miguel Dantas, e de sua ex-mulher, Matilde, em uma emboscada. O crime foi atribuído a Laelson Rodrigues de Melo, o Laércio Boaideiro, irmão de Neguinho. Em 2012, ele foi condenando a 35 anos de prisão por júri, mas nega o crime até hoje.

0 comentários:

Postar um comentário