domingo, 4 de março de 2018

Entrevista de Lula sepulta chance de PT apoiar candidato de outro partido, afirma coluna

Domingo, 04 de Março de 2018 - 17:40

Entrevista de Lula sepulta chance de PT apoiar candidato de outro partido, afirma coluna

Entrevista de Lula sepulta chance de PT apoiar candidato de outro partido, afirma coluna
Foto: Agência Brasil
A entrevista do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Folha de S. Paulo jogou uma pá de cal nas negociações de dirigentes petistas que articulavam apoiar candidato de outro partido caso ele seja impedido de disputar a eleição. Nela, Lula afirmou que não discutirá a possibilidade de plano B ou suporte a nome de outra sigla porque, se o fizer, estará assinando confissão de culpa (leia aqui). De acordo com a coluna Painel, da Folha, o PT faz o discurso de que ainda terá capital político para disputar a eleição, pois Lula estará no jogo, nem que seja só como cabo eleitoral. As críticas feitas por Ciro Gomes (PDT), que respondeu ao ex-presidente dizendo que ele não sabe o que está acontecendo no país (veja aqui), também inflaram a sensação d
Domingo, 04 de Março de 2018 - 11:40

Ministros do STF contrariam decisão da própria Corte sobre prisão após 2ª instância

Ministros do STF contrariam decisão da própria Corte sobre prisão após 2ª instância
Foto: Carlos Moura/SCO/STF
Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) vêm contrariando um entendimento da própria Corte sobre a execução de penas após condenação em 2ª instância. De acordo com um levantamento feito pela Folha de S. Paulo, entre 390 pedidos de habeas corpus nesse contexto avaliados pelo STF nos últimos dois anos, em 91 casos os ministros mandaram soltar ou suspenderam a ordem de prisão dos condenados. O número representa cerca de 23% do total. O entendimento sobre a execução da pena após condenação em 2ª instância foi decidido em 2016 por 6 votos a 5. Anteriormente, a Corte julgava que ninguém poderia ser declarado culpado e ter sua pena executada até que se esgotassem todas as possibilidades de recurso. Ainda segundo a Folha de S. Paulo, entre as 91 liminares favoráveis a condenados em 2ª instância, 72 foram concedidas pelos ministros Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski, que foram vencidos no julgamento de 2016. No entanto, decisões colegiadas dentro do próprio STF já derrubaram algumas dessas decisões. O entendimento sobre essa situação pode ser importante para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que já foi condenado em 2ª instância e pode ter sua prisão decretada em breve.

0 comentários:

Postar um comentário