domingo, 27 de maio de 2018

Petroleiros decidem entrar em greve na próxima quarta-feira Paralisação de 72 horas reivindica a demissão do presidente da Petrobrás, a redução dos preços de combustíveis, entre outras medidas

26 de Maio, 2018 - 22:50 ( Brasília )

GHBR - Petroleiros anunciam greve

Petroleiros decidem entrar em greve na próxima quarta-feira Paralisação de 72 horas reivindica a demissão do presidente da Petrobrás, a redução dos preços de combustíveis, entre outras medidas

Petroleiros decidem entrar em greve na próxima quarta-feira

Fernanda Nunes e Vinícius Neder


RIO - A Federação Única dos Petroleiros (FUP), representante de empregados daPetrobrás, decidiu iniciar manifestações a partir deste domingo, 27 e, à zero hora da próxima quarta-feira, 30, iniciar uma greve de 72 horas, segundo uma fonte. A definição saiu de um encontro realizado por teleconferência na tarde deste sábado, 26.

A lista de reivindicações inclui cinco pontos, um deles é a demissão do presidente da companhia, Pedro Parente. Os sindicalistas pedem também a redução dos preços dos combustíveis e do gás de cozinha; a manutenção de empregos e retomada da produção interna de combustíveis; o fim da importação de derivados de petróleo; e a desmobilização do programa de venda de ativos promovido pela atual gestão da estatal. O comunicado que será enviado ainda neste sábado à empresa contesta também a presença de unidades das Forças Armadas em instalações da Petrobrás.

greve se estenderá até as 23h59 do dia 1º de junho. Já neste domingo, 27, a troca de turnos será atrasada nas refinarias nas quais foram colocadas à venda participações, o que deve deixar a operação mais lenta. Foram incluídas no programa de desinvestimento a Rlam, na Bahia; a Abreu e Lima, em Pernambuco, a Refap, no Rio Grande do Sul, e a Repar, no Paraná.

Trabalhadores da Refinaria Alberto Pasqualini (Refap) já cruzaram os braços no turno de 8 horas a 16 horas deste sábado, em solidariedade ao movimento de greve dos caminhoneiros, informou o Sindicato dos Petroleiros do Rio Grande do Sul (Sindipetro-RS).

Segundo a assessoria de imprensa da Petrobrás, a operação não foi afetada. Isso porque os trabalhadores do turno anterior, de meia-noite às 8 horas, assumiram os trabalhos. A diretora de comunicação do Sindipetro-RS, Élida Maich, informou que aparalisação foi decidida por cerca de 70 petroleiros reunidos na porta da Refap, na entrada do turno das 8 horas.

A entrada da Refap foi bloqueada por manifestantes desde o início do movimento grevista dos caminhoneiros. Segundo a Petrobrás, há bloqueios em várias refinarias, mas nenhuma unidade teve impacto na operação de produção.

Na semana retrasada, a Federação Única dos Petroleiros (FUP) aprovou greve por tempo indeterminado, mas sem definir uma data. A entidade divulgou um calendário que previa a definição da data de início da greve para o próximo dia 12, mas o Sindipetro-RS resolveu se antecipar ao movimento com a ação localizada na Refap. “Como os petroleiros são contra a política de aumento de combustíveis, entramos em solidariedade aos caminhoneiros”, afirmou Elida. 
DNE: 024/2018
Rio de Janeiro, 26 de maio de 2018. Aos integrantes dos Conselhos de Administração e Diretorias Executivas das estatais:Petróleo Brasileiro S/A - PetrobrásPetrobrás Transportes S/A.
 –
 Transpetro Araucária Nitrogenados S/A Assunto:
COMUNICADO DE GREVE
  A FEDERAÇÃO ÚNICA DOS PETROLEIROS - FUP vem, em nome de seus Sindicatosfiliados abaixo indicados, em cumprimento às deliberações das assembleias detrabalhadores realizadas conforme previsto em lei, vem comunicar: GREVE POR PRAZODETERMINADO NOS DIAS 30 E 31 DE MAIO, E 1° DE JUNHO DE 2018. Além de repudiar enfaticamente a presença de unidades das Forças Armadas em instalaçõesda Petrobrás
 –
 o que mais uma vez demonstra a ruptura democrática significada pelausurpação das instituições públicas
 –
 a Greve tem por objetivo:1
 –
 Redução dos preços dos combustíveis e do gás de cozinha;2 - Manutenção dos empregos e retomada da produção interna de combustíveis;3 - Fim das importações da gasolina e outros derivados de petróleo;4 - Contra as privatizações e desmonte do Sistema Petrobrás;5
 –
 Demissão de Pedro Parente da Presidência da Petrobrás. A Greve se iniciará às 00h01 do dia 30 de maio de 2018, e terminará às 23h59 do dia 1° de junho de 2018. As empresas deverão procurar os sindicatos locais, a fim de estabelecer as negociaçõesprevistas na Lei 7.783/89.
 
 
FEDERAÇÃO ÚNICA DOS PETROLEIROS
Filiada à
 Av. Rio Branco, 133
 –
 21º andar
 –
 Centro - CEP 20040-006
 –
 RJ
 –
 Rio de JaneiroTel/Fax (021) 3852-5002 e-mail:fup@uol.com.br  
 –
 fup@fup.org.br  Estão representados no presente documento os seguintes Sindicatos:- SINDICATO DOS PETROLEIROS DO NORTE FLUMINENSE (SINDIPETRO/NF);- SINDICATO DOS PETROLEIROS DE DUQUE DE CAXIAS (SINDIPETRO/DC);- SINDICATO UNIFICADO DOS PETROLEIROS DE SÃO PAULO (SINDIPETRO/SP);- SINDICATO DOS PETROLEIROS DE MINAS GERAIS (SINDIPETRO/MG);- SINDICATO DOS PETROLEIROS DA BAHIA (SINDIPETRO/BA);- SINDICATO DOS PETROLEIROS DO PARANÁ E SANTA CATARINA (SINDIPETROPR/SC);- SINDICATO DOS PETROLEIROS DO RIO GRANDE DO SUL (SINDIPETRO/RS);- SINDICATO DOS PETROLEIROS DO RIO GRANDE DO NORTE (SINDIPETRO/RN);- SINDICATO DOS PETROLEIROS DO ESPÍRITO SANTO (SINDIPETRO/ES);- SINDICATO DOS PETROLEIROS DO AMAZONAS (SINDIPETRO/AM);- SINDICATO DOS PETROLEIROS DE PERNAMBUCO E PARAÍBA (SINDIPETRO PE/PB);- SINDICATO DOS PETROLEIROS DO CEARÁ E PIAUÍ (SINDIPETRO CE/PI);- SINDICATO DOS QUÍMICOS DO PARANÁ (SINDIQUÍMICA/PR),Cordialmente,JOSÉ MARIA RANGELCoordenadoGeral
 –
 FUPP/ Direção Colegiada
 

0 comentários:

Postar um comentário