sábado, 15 de dezembro de 2018

Salvador se mantém como maior economia da Bahia; Ibiquera tem menor PIB

Salvador se mantém como maior economia da Bahia; Ibiquera tem menor PIB
Foto: Reprodução / Midiamax
Apesar de registrar perda de participação no Produto Interno Bruto (PIB) nacional, Salvador se mantém como a 9ª maior economia do Brasil e a maior entre os estados do Nordeste. No ano de 2016, o PIB da capital baiana foi de R$ 61,1 bilhões, ou 23,62% do total do estado, em valores correntes daquele ano, com participação de 0,97% no PIB do país.

Segundo informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esse movimento de perda progressiva de participação da capital baiana também se verifica em relação ao Nordeste. Em 2009, a capital baiana representava 8,10% da economia da região. Já em 2016, esse índice caiu para 6,80%.

Dentro da Bahia, a capital também caiu. Em 2002, a participação de Salvador era de 26,81% e, em 2016, de 23,62%.

Ainda assim, a cidade concentra mais que o dobro do segundo maior PIB baiano, o de Camaçari, cuja participação no estado é de 8,48%. Em terceiro lugar, está Feira de Santana, que representa 5,07% do PIB estadual. Na outra ponta, os municípios com menor participação são Ibiquera (0,01%), Dom Macedo Costa (0,01%) e Contendas do Sincorá (0,01%).
Foto: Divulgação / IBGE

Quanto ao aumento de participação, os municípios que se destacaram foram São Francisco do Conde e Feira de Santana. Com um PIB de R$ 11,8 bilhões, quarto maior de toda a Bahia, o primeiro responde por 4,56% da renda gerada no estado. Em 2015, sua participação era de 3,53%.

Já a Princesa do Sertão representava 5,078% de toda a renda baiana em 2016 com um PIB de R$ 13,1 bilhões. No ano anterior, sua participação era de 4,88%.

Por outro lado, São Desidério registrou a maior perda de arrecadação do estado. Abatido com a seca, o município representou 0,57% do PIB da Bahia naquele ano. Atrás dele, Cairu (0,17%) e Formosa do Rio Preto (0,38%) encabeçam a lista de municípios que mais perderam participação. (Atualizada às 9h55)

0 comentários:

Postar um comentário