sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Mais de 100 jumentos morrem na Bahia após doença causada por maus tratos

(Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Mais de 100 jumentos morrem na Bahia após doença causada por maus tratos

Com essas mortes, sobe para 300 o número de jumentos mortos em fazenda de chineses
Uma doença metabólica sem cura e desenvolvida por causa dos maus-tratos já matou mais de 100 jumentos dos cerca de 800 encontrados há quase duas semanas em um confinamento ilegal, na zona rural de Canudos, no centro-norte da Bahia.
Com anuência do Ministério Público da Bahia, os animais estão há uma semana sob a tutela do Fórum Nacional de Proteção Animal, entidade que tem sede em São Paulo e da qual participam diversas ONGs de proteção aos direitos dos animais.Com essas mortes, sobe para 300 o número de jumentos mortos na fazenda, onde dois chineses mantinham os animais para depois levá-los para o abate. Os orientais foram multados pela Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) em R$ 40 mil por realizar o transporte ilegal dos bichos.
Segundo a bióloga Patrícia Tatemoto, representante no Brasil da The Donkey Sanctuary, ONG britânica que atua de forma global na defesa dos jumentos, a doença que afeta os animais é conhecida como hiperlipemia e há risco de mais mortes.
“Os sinais clínicos são a prostração, e o animal vem a óbito”, disse a bióloga. “Os animais continuam morrendo em decorrência dos crimes de maus-tratos que sofreram quando estavam sob a responsabilidade dos antigos tutores”.
Por não ter cura, há previsão de que mais animais morram, mesmo eles já estando se alimentando. “Se não fosse a nossa intervenção, certamente a situação estaria muito pior devido a essa doença metabólica”, afirmou Patrícia.
A bióloga informou que a alimentação dos animais é fornecida de forma adequada e foi reorganizada com base nas recomendações de especialistas em nutrição de asininos da Universidade de São Paulo e da Universidade Federal da Bahia.
Ainda segundo ela, a água “não era o problema mais crítico, conforme atestaram veterinários e o proprietário da fazenda, mas ontem finalmente chegaram duas caixas d'água de mil litros cada, até que possamos construir bebedouros adequados de alvenaria”.
Para cuidar dos animais, a Frente Nacional de Proteção Animal está fazendo arrecadações por meio de doações. O curso mensal estimado para cuidar dos jumentos é de pelo menos R$ 50 mil.
Uma campanha é realizada na internet para arrecadar fundos e custear o arrendamento rural, empregados, alimentação, água, veterinários, castrações, remédios, vacinas, exames e transporte para adoções, as quais ocorrerão quando os animais estiverem bem de saúde.

0 comentários:

Postar um comentário